Páginas

Música Brasileira

"Não é bom para o homem estar só mas ele está só, mesmo assim, ele espera e está só, ele adia e está só, só ele sabe que mesmo adiando chegará."
Natan Zach

sexta-feira, setembro 30, 2005

Fahrenheit 451


"Felizmente, pessoas excêntricas como ela (a jovem sumida) não ocorrem com muita freqüência. Agora, já sabemos como consertar quase todas na infância bem cedo. Não se pode construir uma casa sem prego e sem tábuas. Se você não quer que uma casa seja construída, esconda os pregos e as tábuas. Se você não quer que uma pessoa seja politicamente infeliz, não lhe dê os dois lados de uma questão para se preocupar. Dê-lhe um só. Melhor ainda, não lhe dê nenhum. Será melhor ela esquecer que existe uma coisa como a guerra. Se o governo for ineficiente, autoritário e perdulário, é melhor ser tudo isso sem que as pessoas se preocupem com essas coisas. Paz, Montag.

Dê às pessoas concursos que elas ganham lembrando-se das letras das canções mais populares, dos nomes das capitais ou de qual estado produz mais petróleo. É melhor entulhá-las de dados não combustíveis, entupi-las com tantas "informações" que elas se sintam enfastiadas, mas muitíssimo "brilhantes". Aí elas acham que estão pensando, ficam com uma impressão de estar em movimento sem se mexer. E ficarão felizes porque os fatos dessa espécie não se modificam.

Não lhes dê coisas escorregadias, como filosofia ou sociologia para embrulhar as coisas. Esse é o caminho da melancolia. Qualquer homem que seja capaz de desmontar uma TV mural e montá-la de novo (e hoje em dia quase todo mundo sabe fazer isso) é mais feliz do que o homem que tenta calcular, medir e equacionar o Universo, que simplesmente não se deixa medir ou equacionar sem que o homem se sinta vil e solitário. Eu sei, eu já tentei. Para o inferno com isso.

Então, vamos lá, com clubes e festas, acrobatas e mágicos, saltimbancos, carros a jato, ciclo-helicópteros, sexo e heroína, tudo o que tem a ver com reflexo automático. Se o drama é ruim, se o filme não diz nada, se a peça é vazia, agite-me com sons eletrônicos e bem altos. Vou pensar que estou reagindo à peça, quando se trata apenas de uma reação tátil às vibrações. Mas não ligo. Tudo o que eu quero é uma boa diversão."

Ray Bradbury

Um comentário:

Rodrigo disse...

Hola saludos desde Chile