Páginas

Música Brasileira

"Não é bom para o homem estar só mas ele está só, mesmo assim, ele espera e está só, ele adia e está só, só ele sabe que mesmo adiando chegará."
Natan Zach

sexta-feira, dezembro 23, 2005

Os Vazios do Homem

LuciaPossas-a sOoL!!
Os vazios do homem não sentem ao nada
do vazio qualquer: do do casaco vazio,
do da saca vazia (que não ficam de pé
quando vazios, ou o homem com vazios);
os vazios do homem sentem a um cheio
de uma coisa que inchasse já inchada;
ou ao que deve sentir, quando cheia,
uma saca: todavia não, qualquer saca.
Os vazios do homem, esse vazio cheio,
não sentem ao que uma saca de tijolos,
uma saca de rebites; nem têm o pulso
que bate numa de sementes, de ovos.

Os vazios do homem, ainda que sintam
a uma plenitude (gora mas presença)
contêm nadas, contêm apenas vazios:
o que a esponja, vazia quando plena;
incham do que a esponja, de ar vazio,
e dela copiam certamente a estrutura:
toda em grutas ou em gotas de vazio,
postas em cachos de bolha, de não-uva.
Esse cheio vazio sente ao que uma saca
mas cheia de esponjas cheias de vazio;
os vazios do homem ou o vazio inchado:
ou vazio que inchou por estar vazio.

João Cabral de Melo Neto

3 comentários:

Destinyth disse...

Belo...gosto de João cabral de Melo Neto. Retrata bem em sua obra a essência ambígua do homem. Em Os Vazios do Homem, além do jogo de palavras percebe-se a preocupação com a condição do ser humano. Maravilhoso ser poeta e ter o dom de usar as palavras assim. Beijokas Sool.

Anônimo disse...

"OS VAZIOS DO HOMEM",não podem encher o que pensam que está vazio e está cheio,quando pensam que estão enchendo rebentam,porque já estavam cheios e os vazios não se enchem ,porque pensam que já estão cheios!Assim "caminha" o presente...esteja atento você é capaz de saber quando deve começar a encher...só quando está vazio!OBSERVE,NÃO CONTINUE A ERRAR...se tiver dúvidas pergunte,não morra ignorante...você é mais um que pode ajudar!

GONÇALO disse...

SÓ UMA OSERVAÇÃO!ESQUECI DE COLOCAR O MEU NOME NO COMENTÁRIO ANTERIOR.

GONÇALO